Notice: A função WP_Scripts::localize foi chamada incorretamente. O parâmetro $l10n deve ser um array. Para passar um dado arbitrário para os scripts, use a função wp_add_inline_script() ao invés. Leia como Depurar o WordPress para mais informações. (Esta mensagem foi adicionada na versão 5.7.0.) in /home/uppertru/public_html/wp-includes/functions.php on line 5835
Pular para o conteúdo
Home » Caminhões bitrens brasileiros não podem mais trafegar em território Paraguaio

Caminhões bitrens brasileiros não podem mais trafegar em território Paraguaio

Fonte: Agência EFE PARAGUAI

O Ministério de Obras Públicas e Comunicações do Paraguai revogou nesta segunda-feira uma resolução assinada há um ano que permitia a entrada no país de caminhões bitrem do Brasil, mas que já estava suspensa após protestos organizados por caminhoneiros locais.

A revogação da resolução, confirmada por fontes do governo, ocorreu pouco antes do fim do prazo de um ano da suspensão que Horacio Cartes, ex-presidente do país, acertou com as transportadoras, que organizaram protestos contra a circulação no país desse tipo de caminhão (com dois semirreboques), especialmente os vindos do Brasil.

A decisão anterior só autorizava a circulação de caminhões brasileiros que transportavam soja pelo corredor graneleiro entre a cidade de Pedro Juan Cabello, que faz fronteira com Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul, e o porto de Concepción, a cerca de 215 quilômetros.

Apesar da restrição, os caminhoneiros paraguaios alegam que a entrada dos bitrens brasileiros com soja representaria o início de um movimento de maior escala desse tipo de veículo no país, deixando as transportadoras locais sem poder de competir no mercado.

Em nota publicada pelo governo, o presidente da Federação de Caminhoneiros do Paraguai, Ángel Zaracho, disse que o governo cumpriu a promessa de proibir a circulação de bitrens.

“(O governo) deixou sem efeito a resolução que permitia esse tipo de veículos de grande porte em nosso território, gerando assim uma concorrência desleal para os caminhoneiros locais”, afirmou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *