Home » LIFO – Saiba quando usar esse método no transporte de cargas

LIFO – Saiba quando usar esse método no transporte de cargas

Você sente a necessidade de organizar o seu estoque de maneira eficiente, mas não sabe muito bem como fazê-lo, certo? Existem diversas metodologias de gestão de estoque que podem ajudá-lo nessa tarefa — uma delas é o LIFO!

Você sente a necessidade de organizar o seu estoque de maneira eficiente, mas não sabe muito bem como fazê-lo, certo? Existem diversas metodologias de gestão de estoque que podem ajudá-lo nessa tarefa — uma delas é o LIFO!

Por isso, no post de hoje, abordaremos as principais características do sistema LIFO, suas vantagens e suas desvantagens em relação aos demais métodos no processo logístico. Continue a leitura e saiba mais!

Afinal, o que define o método LIFO de estoque?

LIFO é sigla em inglês de “last in, first out” e se refere ao método de movimentação de estoque em que o último produto a entrar deve ser o primeiro a sair. O método LIFO deve ser utilizado em estoques com grande rotatividade que não tenham produtos de curto prazo de validade, pois os primeiros produtos a entrar ficam por um período maior no estoque.

Agora que sabemos o que é o método LIFO, destacaremos alguns dos principais pontos que devemos avaliar para sua aplicação no estoque da sua empresa. Confira!

Quando é indicado utilizar o LIFO?

Quando é indicado utilizar o LIFO?

Esse método é o mais indicado no caso de empresas que não trabalham com produtos perecíveis, estão sujeitas a uma grande variação de custos devido à inflação e têm uma baixa rotatividade do estoque.

Isso porque sempre é utilizado o lote mais recente, o que faz com que você precise administrar mais de um lote ao mesmo tempo, podendo ocasionar a perda do prazo de validade de produtos mais antigos.

Outro ponto importante da utilização do LIFO é o fato de que ele é extremamente útil como base de cálculo para fins gerenciais, porém não pode ser utilizado nos relatórios fiscais.

Isso porque ele gera uma supervalorização do seu estoque — o valor do estoque fica maior do que o montante que você realmente investiu nele — e, dessa forma, ocasiona erros na tributação do negócio.

Afinal, qual a diferença entre LIFO e FIFO?

Já explicamos o significado do método LIFO e quando ele é mais recomendado. Já o FIFO (first in, first out) é justamente o contrário. Ou seja, o primeiro produto que entra no depósito é também o primeiro a sair.

Sendo assim, pode-se considerar esta segunda opção mais recomendada para estoques que precisam de uma movimentação mais dinâmica e tempo menor de estocagem, como é o caso de alimentos perecíveis. Afinal, esse tipo de produto não deve permanecer muito tempo estocado, mesmo que haja toda uma estrutura preparada e adequada para seu armazenamento.

LIFO no transporte rodoviário de cargas

Devido aos altos custos envolvidos em toda a operação, a organização da carga é uma questão fundamental. O primeiro método a ser aplicado para movimentação de cargas é determinado pelo tipo de produto e pelo seu prazo de vida.

Além disso, para a diminuição dos custos, é importante a maximização da ocupação dos veículos e a roteirização das entregas, na qual a ordem do carregamento dos produtos influencia diretamente na otimização do processo, no caso de cargas fracionadas. Neste caso, deve-se elaborar a rota utilizando o método LIFO: os últimos a serem carregados serão descarregados primeiro.

Entendeu agora como mensurar o estoque ou manuseá-lo de forma correta de acordo com sua classificação? Aproveite e expanda mais um pouco seu conhecimento sobre o assunto lendo este outro artigo com tudo o que você precisa saber sobre o que é FIFO!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 + 19 =